Educação e Biblioteca

Educação 

Ação Social Escolar

Bolsas Ensino Superior

bolsasEnsinoSuperior

 

De acordo com o Regulamento de Atribuição de Bolsas de Estudo a Estudantes do Ensino Superior, a autarquia pretende proporcionar apoio a famílias carenciadas, através de uma bolsa de estudo pecuniária atribuída a alunos integrados no Ensino Superior, cujas famílias manifestem elevadas dificuldades a este nível e por consequência, esteja em risco a prossecução dos seus estudos.

 

No passado dia 16 de janeiro de 2017 foi aprovada, por deliberação do Executivo Municipal, a atribuição de 38 bolsas de estudo, a título provisório.
De acordo com o n.º 1 do artigo 18.º do referido Regulamento, os candidatos poderão reclamar, até ao próximo dia 2 de fevereiro de 2017, caso não estejam de acordo com a decisão da Câmara Municipal.

 

icon pdf pequeno Aviso Atribuição de Bolsas de Estudo a Estudantes do Ensino Superior 

 

icon pdf pequeno Bolsas de Ensino Superior 

 

icon pdf pequeno Regulamento 

 

icon pdf pequeno Boletim de Candidatura

 

icon pdf pequeno Documentos a Apresentar

 

 

Subsídios de Estudo

 

Todos os anos são apresentados, através dos Agrupamentos de Escolas, Boletins de Candidatura a Subsídio de Estudo, relativos a alunos do 1º Ciclo do Ensino Básico.
Por deliberação tomada pela Câmara Municipal de Tomar, na reunião de 15-09-2014, foram atribuídos 208 Escalões A e 150 Escalões B, após a análise dos boletins de candidatura apresentados.
A quantia deliberada pela autarquia, para o ano letivo 2014/2015, foi de 40,95 € para o Escalão A e 20,48 € (50%) para o Escalão B, pelo que, considerando os valores propostos, a Câmara Municipal de Tomar irá despender, com subsídios de estudo, um total de 11.589,60 €.
Até 31 de outubro decorre o período de candidaturas para a 2.ª fase de atribuição de subsídios, podendo os encarregados de educação que ainda não o fizeram, entregar a documentação necessária no Setor de Educação, na Rua Infantaria 15, n.º 108, 2.º andar ou enviar para Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. .

 

icon pdf pequeno Regulamento da Ação Social Escolar

 

icon pdf pequeno ASE – Boletim de Candidatura

 

icon pdf pequeno ASE – Pedido de reanálise – 1.º CEB


Subsídios de Transporte

 

De acordo com o Decreto-Lei n.º 299/84, os alunos em escolaridade obrigatória (até ao 9.º ano), residentes a mais de 3 Km da escola mais próxima, têm direito a transporte gratuito. Os restantes poderão circular em transporte organizado pela Autarquia, mas pagando o seu transporte.
A alunos em situação de comprovada carência económica, ou em situações especiais, a Câmara Municipal tem atribuído subsídios de transporte escolar.
Por deliberação tomada pela Câmara Municipal de Tomar, na reunião de 29-09-2014, comprovada a carência económica grave do agregado familiar, foi atribuído um subsídio de transporte, no valor referente à vinheta mensal para transporte escolar, a três alunos da Escola Secundária Jácome Ratton, para o ano letivo 2014/2015.

 

icon pdf pequeno Regulamento da Ação Social Escolar

 

icon pdf pequeno ASE – Boletim de Candidatura

 


Subsídios Especiais

 

O Executivo Municipal tem decidido atribuir subsídios especiais de Refeição e de Tempos Livres, a crianças de Jardim de Infância, provenientes de famílias com comprovada carência económica, de acordo com os seguintes valores:
ATL - Atribuição de 32,50 € mensais.
Refeições - Atribuição de 1,20 € por refeição.
No ano letivo 2013/2014, foram atribuídos subsídios de carácter excecional a 60 crianças de educação pré-escolar pertencentes agregados familiares de comprovada carência económica grave que se traduziram em apoios adicionais de 1,20 € por refeição, de 32,50 € mensais para ATL ou do valor referente à vinheta mensal para transporte escolar. Estes apoios traduziram-se em 8 643,85€ no total do ano letivo.

 

icon pdf pequeno Regulamento da Ação Social Escolar

 

icon pdf pequeno ASE – Boletim de Candidatura

 

Edifícios Escolares

 MapaDistribuicaoEquimentosEducacao

icon pdf pequeno Listagem

Transportes Escolares

A organização dos transportes escolares para o ano letivo 2014/2015 baseia-se no art. 6.º do Decreto-Lei n.º 299/84, de acordo com o qual “serão utilizados, em princípio, os meios de transporte coletivo que sirvam os locais dos estabelecimentos de ensino e de residência dos alunos”.
Nos casos em que tal não se torna possível, optou-se, de acordo com o art. 15.º do mesmo diploma legal, pela criação de circuitos especiais de transporte coletivo de aluguer, nas situações em que o número de alunos o justifica e de circuitos de transporte de aluguer ligeiro, em situações particulares.
De referir que ainda há alunos transportados na carrinha da Câmara e por carrinhas de Juntas de Freguesia, em que a Câmara assume as despesas com os quilómetros a efetuar para realizar o transporte dos alunos residentes a mais de três quilómetros.
Resumo do número de alunos transportados no ano letivo 2014/2015:
Alunos de JI/1ºCEB por meio de transporte:


- Transportes Coletivos de Aluguer – 62 alunos
- Transportes Ligeiros de Aluguer – 16 alunos
- Carrinhas de Transporte Escolar (CMT) – 14 alunos
- Carrinhas de Transporte Escolar - entidades parceiras – 15 alunos

Alunos de 2.º/3.º CEB / Ens. Sec, por meio de transporte:
- Transportes Coletivos Públicos (Autocarro) – 1233 alunos
- Transportes Coletivos Públicos (Comboio) – 16 alunos

Atividades

Abertura do Ano Letivo 2016/2017

 

TOMARAAPRENDERSET016TOMARAAPRENDERSET016.PROGRAMA

 

Dia da Criança

dia da criana

 

Feira de Educação Emprego e Empreendedorismo

freee slideOriginal

XVII SEMINÁRIO REGIONAL DE EDUCAÇÃO

CartazFinalv3

I Encontro de Familiares e Cuidadores de pessoas com Doença Mental

DoenaMental

 

Semana da Criança e do Ambiente

 

A Semana da Criança e do Ambiente 2014 decorreu entre 31 de maio e 5 de junho, sendo nos dois primeiros dias (sábado e domingo) aberta ao público e nos restantes dias organizada (com definição de transportes e horários) para receber os jardins de infância e escolas do 1.º ciclo do concelho. Participaram no evento, de 2 a 5 de junho, 2180 crianças e cerca de 2000, nos dias 31 de maio e 1 de junho. Puderam experimentar ateliers de Informática, Ambiente, Desporto, Insufláveis, Química, Contos, Saúde, Segurança, Cinotécnica, Nautimodelismo, entre outros.
Da programação do dia 31 de maio fizeram parte “Os Croods”, na Biblioteca Municipal de Tomar, o Concerto "Fosforo in Tempo", pelo Quarteto de Guitarras da Canto Firme – Associação de Cultura, no Museu dos Fósforos e ainda Nautimodelismo e Canoagem, no Rio Nabão, pelo Pantanal Clube e pelo Grupo Desportivo da Nabância e CCD da CMT e SMAS, respetivamente.
No dia 1 de junho tiveram início as atividades no Pavilhão Municipal de Tomar.
Divididas em 22 ateliers permanentes e ainda outros 7 nos dias 31 e 1, estas atividades foram dinamizadas com o apoio de vários serviços da autarquia (Unidade de Desporto e Juventude, Divisão de Proteção Civil, Unidade de Intervenção Social e Educação) e ainda do Agrupamento de Centros de Saúde do Médio Tejo; Agrupamento de Escolas Nuno de Santa Maria; Agrupamento de Escolas Templários; Canto Firme – Associação de Cultura; CLDS+ (Contrato Local de Desenvolvimento Social Mais); Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Tomar; Convento de Cristo; Federação de Andebol de Portugal; Ginásio Clube de Tomar; Ginásio TFitness; Grupo Desp. da Nabância e CCD da CM de Tomar e SMAS; Guarda Nacional Republicana; Instituto Politécnico de Tomar; Livraria Papelaria Nova; Pantanal Clube – Nautimodelismo; Polícia de Segurança Pública; Projeto (Tomar) O Rumo Certo (Programa Escolhas); Projeto Sobre Rodas; Quinta dos Encantos; Regimento de Infantaria 15 (numa parceria do município com a União de Freguesias de Santa Maria dos Olivais e São João Baptista); Resitejo; Sport Club Operário de Cem Soldos e Ténis Clube de Tomar.
Com a colaboração de professores/as e educadores/as, várias turmas apresentaram peças de teatro e canções.
A atividade contou com o apoio do Continente Modelo de Tomar, Intermarché de Tomar, PanricoDonuts, PradoKarton, ACITOFEBA e CIRE. Teve também a colaboração de voluntárias da Universidade Sénior de Tomar.


icon facebook32 Veja o vídeo no facebook 

 

Visitas de Estudo


No ano letivo 2014/2015, foi elaborado um calendário com as distribuições dos dias para visitas de estudo, para cada um dos Agrupamentos de Escolas, procurando, deste modo, proporcionar um dia de visita de estudo a todas as crianças que frequentem os Jardins de Infância e Escolas Básicas do 1.º Ciclo do Concelho.

 

icon pdf pequenoCalendarização Agrup. Nuno de Santa Maria
icon pdf pequenoCalendarização Agrup. Templários
icon pdf pequenoFicha de Transporte Visitas de Estudo

 

Projeto "Máquina do Tempo"

MquinadoTempo8Afinal, a Máquina do Tempo já existe, e está em Tomar

 


Um dos melhores bancos de dados on-line sobre História e Património locais do nosso país está a ser construído em Tomar. Tarefa complexa, numa terra riquíssima nesta área, vai permitir que investigadores em qualquer parte do mundo acedam a um vasto conjunto de documentos, que vão de livros a jornais ou fotografias, entre outros, sobre a cidade e o seu monumento mais emblemático, o Convento de Cristo.
O projeto global chama-se Máquina do Tempo e o sítio na internet Tomar Terra Templária, acessível em www.ttt.ipt.pt.

 

E se no futuro vai ser uma peça fundamental para os estudiosos, hoje em dia já o é para todos os curiosos sobre a História de Tomar e em especial para os alunos e professores das nossas escolas.Querem saber pormenores biográficos de D. Gualdim Pais ou do Infante D. Henrique? Sabiam que Inês Pereira, a da Farsa de Gil Vicente, era tomarense? Conhecem o significado das letras J.T.P. na fachada dos Lagares d’El Rei?

 

 

Estas são apenas algumas curiosidades reveladas no sítio Tomar Terra Templária, onde os professores já podem fazer uma visita virtual pela História local com os seus alunos.

 

MaquinadoTempo6Só precisam de escolher o grau de ensino:

Num minuto... para o 1º Ciclo,
Nível 1 para o 2º Ciclo,
Nível 2 para o 3º ciclo e Secundário.

 

Aí encontram o material necessário para levarem à prática, de facto, o conceito de e-escola, com a possibilidade de acompanharem os materiais preparados para o efeito, mas também links diretos para espaços virtuais tão fascinantes como as imagens a 360º do Convento de Cristo.

 

 


Visita ao Convento vestindo trajes da época

Uma vez efetuado o trabalho na aula, os alunos são convidados a efetuarem uma visita de estudo real ao Convento de Cristo, mas em condições também especialmente atrativas. A Máquina do Tempo disponibiliza-lhes, então, o guarda-roupa histórico Sam Levy, constituído por 35 fatos (estão mais alguns em fase de restauro e execução), com uma abrangência cronológica dos séculos XII a XVI.

MaquinadoTempo3

 

Este guarda-roupa destina-se a alunos do 4.º ao 6.º ano do concelho de Tomar e aos seus professores e permite uma vivência do espaço muito mais realista, como se de facto entrassem numa máquina do tempo que os levasse ao passado enquanto percorrem os locais com que já se familiarizaram virtualmente.
Como funciona o projeto
A Máquina do Tempo é um projeto de caráter pedagógico que resulta de uma parceria entre a Câmara Municipal de Tomar, o Agrupamento de Escolas Nuno de Santa Maria, o Convento de Cristo e, na vertente Tomar Terra Templária, também o Instituto Politécnico de Tomar.
O projeto tem como objetivos aumentar a componente lúdica do ensino da História; utilizar as potencialidades de comunicação das novas tecnologias, como canal privilegiado entre os jovens e o Património; dinamizar a partilha de informação entre os diversos níveis e estabelecimentos de ensino; criar conteúdos e recursos educativos adaptados à realidade local; reforçar a utilização do Castelo e do Convento de Cristo como recurso e centro educativo e torná-lo numa referência transversal a diversas disciplinas e níveis de ensino.
A utilização do site como recurso educativo é, naturalmente, aberta a todos os interessados. Os professores que queiram aprofundar o trabalho com a visita de estudo devem inscrever-se em http://www.ttt.ipt.pt/index.php?nivel=3&m=110/, registar a atividade no Projeto Curricular de Turma e ao longo do ano letivo efetuar pelo menos três visitas virtuais de 90 minutos: ao Castelo, à Cidade e ao Convento, decorrendo a visita real no último período.

Conselho Municipal

CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE TOMAR

 

O Conselho Municipal de Educação de Tomar é uma instância de coordenação e consulta, a nível municipal, da política educativa e tem por objetivo promover a coordenação da política educativa, articulando a intervenção, no âmbito do sistema educativo, dos agentes educativos e dos parceiros sociais interessados, analisando e acompanhando o funcionamento do referido sistema e propondo as ações consideradas adequadas à promoção de maiores padrões de eficiência e de eficácia do mesmo.
De acordo com a Lei nº 159/99, de 14 de Setembro, a Lei nº 169/99, de 18 de Setembro e o Decreto-Lei nº 7/2003, de 15 de Janeiro, foi elaborado e aprovado o Regimento do Conselho Municipal de Educação de Tomar.
Integram o Conselho Municipal de Educação:


- A Presidente da Câmara Municipal e o vereador responsável pela educação;
- O Presidente da Assembleia Municipal, ou, nas suas ausências ou impedimentos, o seu representante;
- Um Presidente de Junta de Freguesia, eleito pelos pares, Representante das Freguesias do Concelho
- O Diretor Geral dos Estabelecimentos Escolares ou quem este designar em sua substituição.
Integram ainda o Conselho Municipal de Educação os seguintes representantes:
- Instituto Politécnico de Tomar, representante das instituições de ensino superior público;
- Um /a representante do pessoal docente do ensino secundário público;
- Um/a representante do pessoal docente do ensino básico público;
- Um/a representante do pessoal docente da educação pré-escolar pública;
- Um/a representante dos estabelecimentos de educação e de ensino básico e secundário privados;
- Dois elementos da Federação Concelhia das Associações de Pais e Encarregados de Educação de Tomar, representantes das associações de pais e encarregados de educação;
- Um/a representante das associações de estudantes do concelho;
- Centro Integração e Reabilitação de Tomar, representante das instituições particulares de solidariedade social que desenvolvam atividade na área da educação;
- Um/a representante dos serviços públicos de saúde;
- Instituto da Solidariedade e Segurança Social, representante dos serviços da segurança social;
- Instituto do Emprego e Formação Profissional de Tomar, representante dos serviços de emprego e formação profissional;
- Um representante do Conselho Municipal de Juventude;
- Um/a representante das forças de segurança.
Considerando as matérias a discutir no Conselho Municipal de Educação, são ainda convidados a estar presentes nas reuniões os seguintes elementos:
- Os diretores dos Agrupamentos de Escolas do Concelho;
- A diretora do Centro de Formação de Professores;
- As escolas com ensino artístico, designadamente Sociedade Filarmónica Gualdim Pais e Associação Cultural Canto Firme de Tomar;
- A Escola Profissional de Tomar
De acordo com a especificidade das matérias a discutir no Conselho Municipal de Educação, pode este deliberar que sejam convidadas a estar presentes nas suas reuniões, personalidades de reconhecido mérito na área de saber em análise.


icon pdf pequeno Regimento CMET

Apoio à Família

APOIO À FAMÍLIA

apoioFamilia

Programa de Expansão e Desenvolvimento da Educação Pré-Escolar

 

No sentido de proporcionar, nos estabelecimentos de educação e ensino público de educação pré-escolar e 1.º ciclo do ensino básico, uma oferta educativa que favoreça o desenvolvimento equilibrado da criança, uma escolarização bem sucedida, uma socialização integrada e que promova o envolvimento das famílias no processo de ensino-aprendizagem, considera-se fundamental garantir a qualidade do funcionamento das componentes de apoio à família.
O Despacho n.º 9265-B/2013, de 15 de julho define as normas a observar no período de funcionamento dos estabelecimentos de educação pré-escolar e 1.º ciclo, bem como na oferta das atividades de animação e de apoio à família (AAAF) e da componente de apoio à família (CAF).
De acordo com o referido despacho, as AAAF são implementadas, preferencialmente, pelos municípios no âmbito do protocolo de cooperação, de 28 de julho de 1998, celebrado entre o Ministério da Educação, o Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social e a Associação Nacional de Municípios Portugueses, no âmbito do Programa de Expansão e Desenvolvimento da Educação Pré-Escolar, sem prejuízo da possibilidade de virem a ser desenvolvidas por associações de pais, instituições particulares de solidariedade social ou outras entidades que promovam este tipo de resposta social.
A CAF é implementada por autarquias, associações de pais, instituições particulares de solidariedade social ou outras entidades que promovam este tipo de resposta social, mediante acordo com os agrupamentos de escolas ou escolas não agrupadas.
Para o fornecimento de refeições no 1.º ciclo do ensino básico, o Programa de Generalização do Fornecimento de Refeições Escolares aos Alunos do 1.º Ciclo do Ensino Básico, no Despacho n.º 22 251/2005 (2.ª série), de 25 de outubro, prevê a possibilidade de parcerias entre os municípios e os agrupamentos de escolas e ou escolas não agrupadas, associações de pais e encarregados de educação ou entidades que reúnam condições necessárias à apresentação de projetos nesse âmbito.
Neste sentido, para todas as componentes de apoio à família, foram assinados Protocolos de Cooperação com as Associações de Pais e outras Entidades Locais que gerem o funcionamento destas atividades em cada um dos estabelecimentos de educação.

No ano letivo 2014/2015, integram o Programa de Generalização do Fornecimento de Refeições aos Alunos do 1.º Ciclo do Ensino Básico, através de Protocolo assinado com cada uma das entidades responsáveis, todas as 23 Escolas do 1.º Ciclo do Concelho, abrangendo um total de 1172 alunos.
No âmbito do Programa de Expansão e Desenvolvimento da Educação Pré-Escolar todos os 22 Jardins de Infância do concelho possuem serviço de refeições e 21 atividades de Prolongamento de Horário.
Os Jardins de Infância com Prolongamento de Horário são dotados de uma equipa itinerante que garante, aos alunos que os frequentam, um bloco de atividade por semana de Educação Física, Educação Musical e Jogos Tradicionais.

 

icon pdf pequeno Mapa de prestação de Contas JI
icon pdf pequeno Mapa de prestação de Contas EB1

Universidade Sénior

Universidade Sénior

US 

Na sequência da deliberação do Executivo Municipal de 27-03-2007, foi aprovada a criação de uma Universidade Sénior em Tomar que funcionou, em regime experimental, nos meses de Maio, Junho e Julho de 2007, encontrando-se agora no 8.º ano de funcionamento.


No presente ano letivo, os/as alunos/as podem optar entre este leque de disciplinas: Artes Decorativas, Atividade Desportiva, Canto Coral, Danças de Salão, Danças Tradicionais, Espanhol, Formação Musical, Francês, História da Arte, História da Música, História das Religiões, História de Tomar, Informática, Lavores, Literatura Portuguesa, Pintura, Português, Psicologia, Teatro, Vivências no e com o direito e Yoga-terapia.
Podem inscrever-se todas as pessoas com mais de 50 anos de idade, com qualquer nível de escolaridade.
As Universidade Seniores surgiram nos anos setenta, na Europa, e nos últimos anos a sua notoriedade tem vindo a aumentar. Em Portugal já existem perto de 200 e são reconhecidas como espaço privilegiado de inserção e participação social das pessoas com mais de 50 anos. Tal como as congéneres portuguesas, a UST funciona em regime de educação não formal, sem fins de certificação e no contexto da formação ao longo da vida, sendo todos/as os/as professores/s voluntários/as.
A Universidade Sénior de Tomar funciona no antigo edifício do Colégio Nuno Álvares, 1.º andar.
Contactos – Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. / 912 896 054 / 249 346 241.

UST2

Carta Educativa

Carta Educativa do Concelho de Tomar


Instrumento fundamental de planeamento e ordenamento prospetivo indispensável para uma atuação estratégica de racionalização dos recursos, com vista a uma política educativa cujo objetivo é o de promover uma educação de qualidade no concelho.
Aprovada a 4 de Abril de 2008, em Assembleia Municipal, a Carta Educativa do Concelho de Tomar foi homologada pela Ministra da Educação no dia 15 de Maio de 2008.

 

icon pdf pequeno Carta Educativa de Tomar
icon pdf pequeno Monitorização

 

Artistas Digitais

 

Artistas Digitais - XIV Edição

 

Desenhos dos alunos do Concelho de Tomar que participaram no projeto/concurso nacional "Artistas Digitais".

 

Clique na imagem para visualizar no tamanho original.

A1 A2 A3
A4 A5 A6
A7 A8 A9
A10 A11 A12
A13 A14 A15

 

 

Pode também visualizar os desenhos na pagina da XIV Edição - Artistas Digitais, bem como obter mais informações acerca deste projeto!

 

Geral

 

 

 

 

Biblioteca Municipal António Cartaxo da Fonseca

 

Catálogo bibliográfico da Biblioteca Municipal de Tomar

 

 

Projeto "Ler Doce Lar"

Lar Doce Lar

História

imagemhistoria

 

A história da leitura pública em Tomar tem os seus primórdios marcados pelo espírito da lei de 2 de Agosto de 1870 de autoria de D. António da Costa através da qual são criadas as bibliotecas populares, cuja necessidade é justificada no seu preâmbulo: “a parte da população que já conseguiu a vitória do aprender, tem sede da leitura, e é necessário que os poderes públicos, de acordo com a acção municipal e com a iniciativa particular, lhe mitiguem essa sede”.

 

Neste sentido, a Câmara, em sessão de 21 de Janeiro de 1876, pede a concessão de livros para a Biblioteca Popular de Tomar que se propõe instalar numa das dependências dos Paços do Concelho.

Apesar de extremamente avançada para a época a lei de D. António da Costa não se revelou de fácil execução, não apenas em Tomar como em muitos outros municípios.

A República não se mostrou indiferente perante a inoperância que revelaram as bibliotecas públicas.

Também em Tomar (Deliberação de 5 de Maio de 1913) a Câmara decide da “reorganização” da Biblioteca dando corpo ao Decreto com força de Lei de 18 de Março de 1911: “o franco acesso à Biblioteca, a ampla leitura domiciliária, as colecções móveis, as salas para crianças, a leitura no caminho-de-ferro, nos hospitais e nas prisões - esse conjunto de meios que, além de facilitar o livro, solicitam o leitor, oferecendo-lho em todas as condições, enviando-lho para todos os pontos, tem sido completamente posto à margem neste país”.

Com o regime saído do 28 de Maio e a solidificação do “Estado Novo” pretende-se combater o analfabetismo e defende-se a necessidade da leitura domiciliária mas...” com as convenientes cautelas e segurança...”

A biblioteca pública em Tomar, tal como outras bibliotecas públicas portuguesas, constitui o espelho da política cultural obscurantista.

Em 1963 a Câmara toma conhecimento do despacho do Ministério das Obras Públicas que aprova o projecto da “Reconstrução da Casa Quinhentista e sua adaptação a Biblioteca Municipal”.

Manuel da Silva Guimarães desenvolveu, nesta fase, um louvável trabalho manifestado quer na organização do espaço, quer sobretudo, na organização dos fundos bibliográficos.

Para o enriquecimento destes fundos contribui apaixonadamente António Cartaxo da Fonseca, não apenas pela quantidade de obras doadas, mas sobretudo, pelo valor documental que elas possuem. Outros beneméritos, entre muitos, não devem ficar esquecidos: Vieira Guimarães, Augusto Tamagnini, Fernando (Nini) Ferreira, Fernando Lopes-Graça e José-Augusto França. Manoel de Matos oferece uma valiosa colecção de moedas, tapeçarias e o mobiliário para o edifício da Rua Silva Magalhães. O Decreto-Lei nº 111/87 de 11 de Março pode considerar-se um marco histórico para Leitura Pública em Portugal. Nele foi definido um instrumento legal, na figura de um contrato-programa que permitia a concretização efectiva do apoio técnico e financeiro do Estado à  criação de uma Rede de Leitura Pública, competindo às autarquias a responsabilidade da criação e manutenção das suas bibliotecas.

Em 1989 a autarquia adere à Rede de Leitura Pública através de um contrato-programa com o ex-IPLL (Instituto Português do Livro da Leitura) contrato esse que passou pela construção do edifício, aquisição do equipamento e mobiliário assim como do fundo documental.

A Biblioteca Municipal de Tomar, à qual foi atribuído o nome “António Cartaxo da Fonseca” em homenagem ao cidadão empenhado, para além do apoio contratual do IPLB (Instituto Português do Livro e das Bibliotecas), recebeu da Fundação Calouste Gulbenkian a doação do fundo documental pertencente à Biblioteca Fixa nº 72 de Tomar que passou, deste modo, a integrar o acervo da nova Biblioteca.

Serviços

Referência e informação

Para orientação dos utilizadores na Biblioteca e apoio nas pesquisas bibliográficas.

 

Livre acesso

Todos os documentos que estão na sala de leitura encontram-se em livre acesso, podendo o utilizador consultar a documentação que necessita de forma autónoma.

 

Consulta local

Alguns documentos, tais como obras de referência, enciclopédias e dicionários destinam-se apenas à consulta na Biblioteca. Estas obras encontram-se identificadas com um autocolante amarelo na lombada.

imagem04

 

Empréstimo domiciliário

O empréstimo domiciliário abrange todas as obras pertencentes ao fundo documental da Biblioteca., com excepção das obras de referência devidamente assinaladas, periódicos locais/regionais, cd-roms  e jogos.

 

Fotocópias

Para documentação em regime de consulta local.

 

Diários da República

Os utilizadores têm acesso à consulta dos Diários da República I, II e III séries.

Acesso às tecnologias de informação

 

A Biblioteca oferece também aos seus utilizadores a possibilidade de acesso às novas tecnologias de informação e comunicação através de computadores disponíveis na sala de audiovisuais e no centro de digitalização e edição gráfica. Ambos os espaços têm postos de acesso à Internet.

imagem01

 

Catálogo informatizado

Os utilizadores da Biblioteca têm acesso ao catálogo informatizado (OPAC). Através deste é possível efectuar pesquisas bibliográficas por autor, título, assunto, colecção, cota, etc.

 

Animação do livro e da leitura

Este serviço assenta na implementação de projectos que tenham por base a ideia de que a aquisição de hábitos de leitura e o prazer de ler passam necessariamente pela apreensão do livro pela criança de uma forma lúdica.

imagem2

 

Animação cultural

Assenta no princípio de que a Biblioteca é um organismo vivo e activo que disponibiliza um conjunto variado de actividades, exposições, encontros com escritores, conferências, debates, etc.

imagem4

 

Cooperação com as escolas

Através de actividades diversas: visitas guiadas à Biblioteca, apoio às Bibliotecas Escolares e participação em actividades de animação.

imagem1

Espaços Funcionais

A Biblioteca Municipal de Tomar António Cartaxo da Fonseca está instalada num edifício construído de raiz, sendo constituída por um conjunto articulado de espaços funcionais.

 

Átrio/ recepção

imagem02

 

É um espaço de acolhimento e orientação dos utilizadores. No balcão central de atendimento pode o utilizador esclarecer-se sobre o funcionamento da Biblioteca, proceder à sua inscrição, requisitar e devolver os documentos passíveis de empréstimo domiciliário. É, também, um espaço onde poderá descobrir pequenas exposições e painéis informativos sobre acontecimentos, assim como as novidades bibliográfico-documentais adquiridas pela Biblioteca.

 

Átrio/ zona de exposições

imagem05

 

Em ligação directa com o átrio / recepção encontra-se a zona de exposições, onde o utilizador poderá descobrir ou reencontrar um escritor, um pintor, um fotógrafo, um músico, um tema, um acontecimento. Facilitar o acesso às expressões culturais de todas as manifestações artísticas são missões da Biblioteca.

 

Sala leitura geral / adultos

imagem04

 

Secção constituída por três espaços específicos.

À entrada os utilizadores poderão encontrar jornais e revistas locais e nacionais. Depois partindo da consulta do catálogo ou do livre acesso às estantes, encontram o fundo bibliográfico destinado ao empréstimo domiciliário. Ao fundo da sala, num espaço de maior silêncio, convidativo à consulta, estudo e investigação encontram-se as obras de referência.

Neste espaço o leitor poderá encontrar, também o fundo local constituído por obras referentes ao concelho de Tomar e outras de interesse local e  regional.

 

Sala leitura infanto-juvenil

imagem06

 

Os leitores mais jovens encontram neste sector espaços informais para a leitura ou audição de histórias e canções; espaços para consulta e pesquisa sobre os mais diversos assuntos em suportes diversos (livros, revistas, cd-roms) e ainda espaços de animação: a sala do conto. Através da interligação funcional destes espaços, partem à descoberta do mundo entre as páginas dos livros, os segredos dos jogos, as cores da vida e a audição dos contos.

 

Sala de audiovisuais

imagem07

 

É um espaço destinado ao visionamento de videocassetes e dvd’s, à audição de música e à consulta de CD-ROM’S, contribuindo deste modo para a criação de uma outra dimensão de biblioteca pública centrada, não apenas no livro, mas também nas novas linguagens audiovisuais

 

Espaço internet

imagem01

 

É um espaço informal com equipamento informático para poder responder às necessidades dos utilizadores nomeadamente à execução de trabalhos de grupo, processamento de texto, digitalização de documentos e acesso á internet.

 

Secção de reservados

imamgem9

 

É uma sala destinada a albergar as obras cujo valor bibliográfico as impede de serem colocadas em livre acesso ou de serem requisitadas para empréstimo domiciliário.

 

Auditório

auditorio

 

Se a “biblioteca pode e deve actuar no sentido de ampliar a dimensão do acto de ler”, como sugere Luiz Milanesi, este espaço visa a realização de actividades de promoção do Livro e da Leitura: encontros com escritores, visionamento de filmes e outras manifestações artísticas.

 

Depósito

imagem10

 

No depósito estão arquivados os livros que não são movimentados com tanta frequência. Aqui encontram-se também os Diários da República, bem como as publicações periódicas.

Aconteceu

Ficam aqui algumas das muitas atividades que tiveram lugar nos diversos espaços da Biblioteca Municipal António Cartaxo da Fonseca

Pode seguir-nos via icon facebook32

 

Apresentação do livro "Nas Assas de uma Borboleta" de Virgílio Saraiva

21 de Março 2017

Foto de Biblioteca Municipal de Tomar António Cartaxo da Fonseca.

 

II Encontro Municipal da Proteção Civil 

18 de Março 2017

MesProtecaoCivil

 

Ação de Formação

10 e 11 de Março 2017

LeiturasAventurasFilosofiaCriancas

 

Apresentação Livro "Envelhenescer" de Pedro Chagas

17 de Fevereiro de 2017

ApresentacaoEnvelhocer

 

Palestra "Quem tem Coragem"

10 de Fevereiro de 2017

QuemTemCoragem

 

Palestra "Diferenciação Pedagógica"

8 de Fevereiro de 2017

DiferenciacaoPedagogica

 

Colóquio - Saberes do Entardecer

2 de Fevereiro de 2017

AprenderEnvelhcerSER

 

A decorrer  

Pode seguir-nos via icon facebook32

 

Bibliotecando em Tomar

5 e 6 de Maio 2017

banner-email bibliotecando 2017

 

4ª Feira do Livro Usado

20 de Março a 1 de Abril 2017

FeiraLivroUsado

 

Notícias do Mundo Literário 

RosaLobatoFaria

A sala de leitura geral da nossa biblioteca vai desenvolver uma atividade onde irá divulgar, regularmente, notícias do mundo literário, efemérides, lançamentos de livros, novas edições, prémios literários nacionais e estrangeiros, aniversários de autores, comemorações, entre outros.
Neste momento assinalamos….

icon facebook32

 

 

Projeto Mente Sã - A Biblioteca no Centro de Dia/ Lar

ProjetoMenteSa

O Plano Anual de Atividades da Biblioteca Municipal António Cartaxo da Fonseca, como documento estratégico que organiza as práticas dos diferentes setores que a compõem, contempla, também, a realização de atividades de âmbito social, viradas para a comunidade local sénior e juvenil.
Neste sentido, o Projeto “Mente Sã” contempla a ida de dois técnicos da biblioteca municipal a Centros de Dia e Lares com livros caminhante...s e atividades artísticas, uma vez por mês, combatendo assim o isolamento e proporcionando, através de várias atividades, momentos de leitura e partilha entre a população sénior (lengalengas, tradição oral, cantilenas, anedotas, hora do conto, teatralização de livros entre outras outras).
Durante o ano serão desenvolvidas, ainda, nas diferentes respostas sociais diversas atividades consoante o mês e a época que decorre. As atividades de maior relevância serão desenvolvidas em áreas como a Exploração Cognitiva (jogos, Hora do Conto); Atividades de Exploração Oral/ Corporal, tais como conversas/comentários de jornais e revistas, música associada a livros de autores/compositores e Atividades de Expressão Plástica que permitam desenvolver e estimular a imaginação e a criatividade através das várias formas de expressão, desenvolver a motricidade fina, a precisão manual e a coordenação psicomotora.
Encontramo-nos neste momento a ultimar as atividades a realizar e em breve estaremos na estrada! Ate breve."

Regulamento

icon pdf pequeno Regulamento

"Reutilizar.org"

A Biblioteca Municipal de Tomar integrou o projeto “Reutilizar.org”- movimento pela reutilização dos livros escolares.

 

O “Movimento pela reutilização dos livros escolares” é um movimento de cidadãos que promove a criação e divulgação de bancos de recolha e partilha gratuita de livros escolares em todo o País.

O objetivo único deste movimento é tornar a reutilização de livros escolares uma prática Universal em Portugal

 

O que é o um “banco de partilha de livros escolares”?

É uma iniciativa promovida por cidadãos ou entidades independentes associada ao movimento reutilizar.org que verifica e subscreve integralmente os princípios de funcionamento e objectivos do Movimento pela reutilização dos livros escolares nomeadamente o Princípio da Gratuitidade.

Estes bancos recebem os livros que lhes são confiados disponibilizando-os a quem precisa deles.

Nenhuma actividade dos bancos envolve dinheiro em qualquer das suas formas.

O movimento Reutilizar agrega mais de 150 bancos de livros, espalhados por todo o País, que dão apoio a pais e estudantes na obtenção de livros escolares a custo zero.

 

Como funciona?

Quer entregar livros?

Entregue-os no Banco mais próximo. Agradecemos que se dirija a um dos Bancos, e que deixe aí os seus livros escolares. Os responsáveis pelo Banco farão a seleção dos mesmos de modo a poderem ser reutilizados.

Precisa de livros?

Procure-os no Banco mais próximo. Basta dirigir-se a um dos Bancos e procurar os livros escolares que precisa. Todos os Bancos aderentes ao Movimento REUTILIZAR.ORG partilham o mesmo princípio de GRATUITIDADE, não havendo qualquer custo associado.

 

O nosso Lema Reutilizar é ainda melhor que Reciclar!

Horário e contactos:

 

Verão
15 junho - 31 agosto

Segunda a sexta:
9.30h-13h / 14.30h-18h

Sábado – 10h-13h
No mês de agosto encerra aos sábados


Inverno
01 setembro-14 junho

Segunda a sexta:
9.30h-18.30h

Sábado – 10h-13h

 

Morada:

Alameda dos Templários 2300-303 Tomar

GPS N 39º 36.197 O 008º 24.320

 

Telefone: 249 329 874

Fax: 249 329 805

E-MailEste endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

icon facebook32

 

 

Banco Voluntariado

 

LogoBancoVoluntariado


Quer receber Voluntários/as na sua Organização? Quer ser Voluntário/a?

Após aprovação do Projeto de Regulamento pela Assembleia Municipal, em 26-04-2005 e respetiva publicação em Diário da República, a 21-06-2005, o município de Tomar lançou o Banco de Voluntariado de Tomar, com o qual pretende proporcionar o intercâmbio entre os cidadãos interessados em desenvolver ações de voluntariado e as entidades do concelho que possam enquadrá-los em projetos e atividades socialmente úteis, de acordo com os seus interesses, capacidade e disponibilidade.

Organizações Promotoras de Voluntariado
Consideram-se organizações promotoras as entidades públicas da administração central, regional ou local ou outras pessoas coletivas de direito público ou privado, legalmente constituídas, que reúnam condições para integrar voluntários e coordenar o exercício da sua atividade.
Poderão candidatar-se ao enquadramento de voluntários as seguintes entidades e instituições: IPSS's, Serviços de Saúde, Escolas, Associações de Pais, ONG's, Associações Culturais, Recreativas e Desportivas do Concelho de Tomar.

Ficha de Inscrição Entidade

Voluntários/as
É voluntário o indivíduo que, de forma livre, desinteressada e responsável, se compromete, de acordo com as suas aptidões e no seu tempo livre, a realizar ações de voluntariado no âmbito de uma organização promotora.

Ficha de Inscrição Voluntário/a

Objetivos Gerais do Banco:
Promover o encontro entre a oferta e a procura de Voluntariado;
Sensibilizar os cidadãos e as organizações para o Voluntariado;
Divulgar projetos e oportunidades de Voluntariado;
Contribuir para o aprofundamento do conhecimento do Voluntariado;

 

Objetivos Específicos do Banco:
Acolher candidaturas de pessoas interessadas em fazer Voluntariado, bem como receber solicitações de voluntários por parte das entidades promotoras de Voluntariado;
Proceder ao encaminhamento de voluntários para entidades promotoras de Voluntariado;
Acompanhar a inserção de voluntários nas entidades para onde forem encaminhados;
Disponibilizar, ao público, informações sobre Voluntariado;
As funções do Banco de Voluntariado de Tomar são, nomeadamente:
Desenvolver, na medida das suas possibilidades estruturais e orgânicas, ações de aceitação de candidaturas e de registo de dados de candidatos;
Proporcionar a troca de informações entre instituições e voluntários;
Promover ações de formação;
Criar e gerir centros de documentação e um sítio na internet;
Utilizar e difundir os suportes de informação normalizados pelo Conselho Nacional para Promoção do Voluntariado, no âmbito dos Bancos Locais de Voluntariado;
Apresentar ao Conselho Nacional para Promoção do Voluntariado relatórios de progresso periódicos, de acordo com a metodologia a fornecer e outros dados de natureza estatística que lhe sejam solicitados.

 

icon pdf pequeno Regulamento

 

XIX Seminário Regional de Educação - 2017

Apresentação

XIX Seminário Regional de Educação: Tomar a Aprender – tod@s capazes, tod@s diferentes

 

O sucesso escolar é, incontornavelmente, um dos grandes objetivos da Instituição Escola. É, seguramente, o caminho que desejaríamos que todos os alunos confiados à Escola, trilhassem. O sucesso escolar tem-se constituído, pois, como uma das nossas maiores preocupações, traduzida numa profusão de diligências quer pedagógicas quer burocráticas. Repetidamente, também, o discurso tutelar se tem concentrado na tónica dos professores / escola como fazedores da mudança para esse sucesso.
Todavia, convém não esquecer que o fenómeno do insucesso está (e mantém-se) associado a muitas outras variáveis que não apenas a da Escola e, dentro dela, os professores. Convergem no insucesso e abandono escolares toda uma conjuntura de fatores estruturais, nomeadamente, os de ordem económica, social e cultural, sacudida e agravada nos últimos anos, por convulsões à qual a Escola é alheia, mas que nela se refletem inevitavelmente. Convém igualmente não esquecer que é o aluno o agente principal da sua própria aprendizagem.
É precisamente neste âmbito que encaixa a ação da escola e do professor, no contributo de confiança, orientação, conhecimento, explicitação, educação, ajuda, entre outros, constituindo-se como um dos fatores que poderão concorrer para a inflexão do insucesso e abandono escolares. Contributo na convergência com o papel da família, amparo e transmissora de valores, o papel que cada aluno tem no seu próprio processo de construção e de auto-organização mental e identitária e o papel de uma cultura promotora dos valores da Escola. Assim, convém concentrarmo-nos no que a Escola / os professores podem fazer para minorar a incidência do insucesso e do abandono.
Muitas iniciativas se têm vindo a tomar partindo do Ministério de Educação mas também das escolas, onde se têm multiplicado os esforços quer organizacionais, concretizados, por exemplo, em formações para professores quer a nível de grupos disciplinares, diretores de turma e dos professores individualmente, no reforço motivacional, em estratégias pedagógicas variadas, na implementação de salas de estudo e de apoios… Foi também nesse âmbito que o Ministério de Educação lançou, no ano transato, o Programa Nacional para a Promoção do Sucesso Escolar, concretizado em cada Escola / Agrupamento no seu Plano de Ação Estratégica.
Assim, tendo em conta que o papel da Escola é crucial e incontornável nesse desiderato e considerando-se que a colaboração e responsabilidade das Comunidades Educativas são essenciais, convém, pois, criar oportunidades onde essa Comunidade possa refletir proativamente e ponderar sobre que alternativas se podem perfilar no sentido de minorar o abandono escolar e promover o sucesso, com a consciência de que essa melhoria se fará na concorrência dialética com o desenvolvimento profissional dos professores e da autorregulação das suas práticas educativas.

 

Cartaz

cartazweb

 

Programa

icon pdf pequeno Programa

 

Intervenientes

Cliquar no nome ou fotografia para aceder às respetivas notas biógraficas e resumos

Hugo Cristovão

HugoCristvo

 

 

José Matias Alves

MatiasAlves

 

Maria Celeste Gonçalves Simões de Sousa

FotoCeleste

 

Marília Castro Cid

MarliaCid

icon pdf pequeno

 

Joaquim Segura

JoaquimSegura

 

Sónia Gregório

Snia Gregrio

 

Jorge Rio Cardoso

JorgeRioCardosoFoto

 

 

Margarida Arnaut Marques

MargaridaArnaut

 

Formação creditada

icon pdf pequeno Ficha de Ação

 

Inscrições

Inscrições

 

Localização

Biblioteca Municipal de Tomar - Auditório 

Alameda dos Templários

Tomar

biblioteca

 

XVIII Seminário Regional de Educação - 2016


Apresentação

Apresentação

A questão do insucesso e abandono escolares tem sido recorrente e atravessou as últimas décadas, fazendo-se presente, insistentemente, no trabalho dos docentes. Tem-se constituído como uma das maiores preocupações em termos formais, traduzida numa profusão de diligências quer pedagógicas quer burocráticas, sempre crescentes, mas também em termos informais.…
Além de não ser uma novidade, convém ainda não esquecer que estes fenómenos do insucesso têm sido (e mantêm-se) associados a muitas outras variáveis que não apenas a Escola e, dentro dela, os professores. Convergem no insucesso e abandono escolares toda uma conjuntura de fatores estruturais, nomeadamente, os de ordem económica, social e cultural, sacudida e agravada nos últimos anos, por convulsões à qual a Escola é alheia, mas que nela se refletem inevitavelmente.
Assim, situando a problemática em aberto, os professores constituem-se apenas como uma das variáveis que poderá contribuir para a inflexão do insucesso e abandono escolares. Não se podem substituir ao papel da família, amparo e grande transmissora de valores, ao papel de uma cultura promotora dos valores da Escola e ao papel principal que cada aluno tem no seu próprio processo de construção e de auto-organização mental e identitária. Assim, feita a ressalva, convém concentrarmo-nos no que a Escola/os professores ainda podem fazer para minorar a incidência do insucesso e do abandono. 
Segundo a Direção Geral de Educação, no que respeita a dados, em 2013/14, por exemplo, a taxa de retenção e desistência no 4.º ano de escolaridade fixou-se nos 3,3% mas no 2.º ano ultrapassou os 10%; por outro lado, no ensino secundário, parece que o aumento da escolaridade obrigatória para doze anos trouxe um problema acrescido, o aumento do abandono escolar (e do insucesso) daqueles que, aparentemente, não querem continuar a estudar. Ainda segundo a mesma fonte, a nível nacional, em cada 1000 alunos, 112 ficaram retidos ou desistiram de estudar; na região Centro, em cada 1000 alunos, 94 ficaram retidos ou desistiram de estudar; no território da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo, em cada 1000 alunos, 82 ficaram retidos ou desistiram de estudar.
O que se tem estado a fazer para mitigar estas realidades? A nível do Ministério de Educação, lançaram-se alguns projetos, nomeadamente: o Programa Territórios Educativos de Intervenção Prioritária, TEIP3, que inclui o Programa Escolhas, o Alargamento da rede escolar e Mediadores para a Inclusão; apoio à implementação de metodologias Mais Sucesso Escolar (Fénix e TurmaMais); Percursos Curriculares Alternativos; aumento da oferta de Ensino Dual, com Cursos Vocacionais e Cursos Profissionais. Por sua vez, a nível das escolas, multiplicam-se os esforços quer organizacionais, concretizados, por exemplo em formações para professores quer a nível de grupos disciplinares e dos professores individualmente, no reforço motivacional, em estratégias pedagógicas variadas, na implementação de salas de estudo e de apoios…
Então, convém refletir sobre a implementação destas e de outras medidas, sermos proativos e ponderar sobre que alternativas se podem perfilar no sentido de minorar o abandono e o insucesso escolares.

Cartaz

Cartaz

Programa

Clique na imagem para obter PDF

programa

Inscrições

Inscrições

Localização

Biblioteca Municipal de Tomar - Auditório 

Alameda dos Templários

Tomar

biblioteca


Edição Anterior (2015)

Apresentação

Quando se fala de evolução temporal e das transformações que a acompanham, entende o bom senso partir do princípio que essa evolução se faz necessariamente no sentido positivo, de patamares do menos, para o mais consistente: melhor ensino, melhor aprendizagem, melhores condições de trabalho, melhores resultados dos alunos, maior satisfação docente.

Ora a realidade escorregadia dos tempos que têm devindo ao presente século, refletida também na Educação, ocasionada essencialmente pela profunda crise económica, política, social e também, dialeticamente, de valores, mostra-nos uma Escola assoberbada por profundas convulsões, esgotada por falta de condições de trabalho, por insatisfação / mau estar docente, por carência de cidadania responsável, entre outras.

Coloca-se, então, a grande questão, que desafios se perfilam para a Escola Pública: cair os braços, deixar-se arrastar e morrer suavemente, ou reclamar para si o direito à primazia, ao protagonismo, à dignificação, à mudança, mas uma mudança sustentável, não uma qualquer mudança demagógica, daquelas onde só o discurso muda.

É neste âmbito de dignificação e de primazia política e social que se enquadra a necessidade de uma reflexão séria sobre as condições e variáveis que giram em torno dos desafios da Escola Pública.

Cartaz

CartazFinalv3Programa 

ProgramaV20-03-015

 

 

LICENCIAMENTO DIGITAL

 

plantasonline

 

licenciamentozero

249 329 800

Câmara Municipal


presidencia@cm-tomar.pt


Praça da República 

2300-550 - Tomar 

Logo face net cópia