Estatística

O concelho de Tomar tem 40.677 habitantes, dos quais perto de metade habitam na freguesia urbana.

 

 

Caracterização da população à escala concelhia

 

 

corredouraNo actual estado da dinâmica demográfica do País, parece ser absolutamente pertinente rever os critérios que têm fundamentado a utilização de métodos de projecção e de previsão demográfica.

 

À semelhança do que se passa na maior parte dos concelhos do País, uma das metas a atingir para o concelho de Tomar, será a de estabilizar a sua população ou, quanto muito, a retenção correspondente ao seu saldo fisiológico, contrariando a sobrevalorização do crescimento demográfico como o abandono de pequenos e médios aglomerados urbanos das "áreas rurais".

 

Vários anos decorridos desde a elaboração do PDM, é hoje possível aferir com maior precisão a relação população/desenvolvimento económico. No momento em que decorre o processo de revisão deste plano, a Câmara Municipal de Tomar dispõe já de resultados definitivos para algumas variáveis, decorrentes dos Censos 2001. Estes, constituem, um elemento fundamental para a avaliação do Modelo III do relatório final do PDM, o qual previa um acréscimo das taxas de crescimento da população. De recordar que este modelo apresentava dois possíveis cenários evolutivos, nos quais era excluída a hipótese de uma recessão populacional, admitindo por um lado "um equilíbrio entre as deslocações inter-regionais da população" e por outro "a ocorrência de saldos migratórios positivos, admitindo-se um crescimento anual médio de 0,5%" o que atingiria valores na ordem dos 45 000 residentes para o concelho."

 

Os cenários anteriormente referidos tiveram como base, segundo a equipa técnica "as potencialidades endógenas do concelho que conduziriam ao desenvolvimento sócio-económico da região".

 

 

Evolução da população entre 1864 e 2001

 

 

No período em estudo, a população do concelho de Tomar aumentou consideravelmente. De facto, entre 1864 (ano em que se observou um efectivo populacional de 21 mil habitantes) e 2001 a população duplicou, passando o seu efectivo para perto de 43 mil habitantes. No entanto, este crescimento não se efectuou de uma forma contínua, sendo possível observar, através de uma análise mais detalhada, que existiram algumas épocas em que as quedas populacionais foram importantes (por exemplo entre as décadas de 50 e 70). Actualmente, a população tende para a estagnação, tendo registado resultados muito semelhantes entre 1991 e 2001.

 

Procedendo a uma análise mais pormenorizada, podemos identificar várias fases:

 

Assim, entre 1864 e 1911 observou-se um crescimento acentuado da população residente no concelho, passando de perto de 21 mil para 34 mil residentes.

 

A partir desta data e até 1930, apesar de se manter a tendência anteriormente instalada, houve um abrandamento do ritmo de crescimento, tendo a população chegado aos 40 mil habitantes. Esta quebra no ritmo de crescimento pode ser associada ao surto de febre pneumónica mas também às consequências da Primeira Guerra Mundial.

 

Na década seguinte, a evolução observada é característica dos períodos de pós-guerra, tendo havido um aumento de perto de 5 mil indivíduos.

Entre 1940 e 1970 ocorreu o maior decréscimo populacional até aqui observado. Considera-se, ter sido forte, o impulso emigratório observado entre 1950 e 1970 (essencialmente entre 1962 e 1965) a principal causa desta perda de efectivos.

Após o regresso de muitos emigrantes na década de 80, a população voltou novamente a crescer.

 

De acordo com os últimos Censos (2011) podemos consultar os resultados obtidos no nosso Concelho, sobre a população residente e a sua empregabilidade

  

 Estatística - INE - População Residente   INE - Caraterização Médio Tejo - Taxas de Desemprego

                                                                                                                                

Cada vez mais, ao longo dos últimos anos, muitos têm sido os estudos sociológicos, qualquer que seja a sua natureza, desde a natalidade, conforto, ambiente, finanças, saúde, etc...

Dadas as transformações que a sociedade em Portugal tem sido alvo ao longo dos últimos 30 a 40 anos, muitos são os fatores que influenciam as diferentes variações.

Anexamos alguns sítios, nos quais podemos pesquizar duma forma eficaz os resultados aos estudos efetuados.

 

www.ine.pt

www.pordata.pt/municipios/

 

 

 

LICENCIAMENTO DIGITAL

 

plantasonline

 

licenciamentozero

249 329 800

Câmara Municipal


presidencia@cm-tomar.pt


Praça da República 

2300-550 - Tomar 

Logo face net cópia